Bushido – O caminho do Guerreiro e suas Influências

*Guilherme Seigo Matsumoto

– Parte 1 –

Bushido foi o código para as classes de guerreiros do Japão, talvez do século 8 até os tempos modernos. A palavra “bushido” vem das raízes japonesas “bushi” que significa “guerreiro” e “do” que significa “caminho”.
Literalmente, então, pode ser traduzido como o “caminho do guerreiro”.
Bushido foi o código de conduta seguido pelos guerreiros samurai do Japão e seus precursores no Japão feudal, assim como grande parte da Ásia central e oriental. Os princípios enfatizavam honra, coragem, frugalidade, habilidade nas artes marciais e lealdade ao mestre de um guerreiro (daimyo) acima de tudo. É um pouco semelhante às idéias de cavalheirismo que os cavaleiros seguiram na Europa feudal, e tem quase tantos folclores – como o 47 Ronin da lenda japonesa – que exemplificam o bushido como os europeus fazem com seus cavaleiros.

O que é Bushido?
Uma lista de virtudes codificadas incluem retidão, coragem, benevolência, respeito, sinceridade, honra, lealdade e autocontrole. As restrições específicas variaram, no entanto, ao longo do tempo e de um lugar para outro dentro do Japão.
Bushido era um sistema ético, e não um sistema de crenças religiosas. De fato, muitos samurais acreditavam que eles foram excluídos de qualquer recompensa na vida após a morte de acordo com as regras do budismo, porque eles foram treinados para lutar e matar nesta vida. Não obstante, sua honra e lealdade tiveram que sustentá-los, em face do conhecimento de que eles provavelmente acabariam na versão budista do inferno depois que eles morressem.
Apesar de ser um sistema ético, o bushido possui suas bases, que podem ser encontradas nas filosofias religiosas do xintoísmo, a crença tradicional local, budismo e confucionismo. Uma das bases com influência budista é o destemor e o desprezo pela morte.
De acordo com o budismo, os samurais retornariam em suas reencarnações como guerreiros, para aperfeiçoar sua alma. Além disso, o bushido usa técnicas de meditação zen, outro conceito budista que era aplicado aos samurais. Por meio delas, os guerreiros treinavam a sua mente para não terem medo na hora do combate.
A lealdade e o patriotismo do bushido eram premissas do xintoísmo. Além disso, eles também faziam o culto aos ancestrais.
Por último, a grande influência do bushido é os ensinamentos do confucionismo, uma filosofia chinesa. O respeito aos pais, as relações entre marido e mulher, pai e filho, patrão e empregado, entre amigos, sinceridade e outros, são características fortes do confucionismo.
O guerreiro samurai ideal deveria estar imune ao medo da morte. Apenas o medo de desonra e lealdade ao seu daimio motivou o verdadeiro samurai.
Se um samurai sentisse que havia perdido sua honra (ou estava prestes a perdê-lo) de acordo com as regras do bushido, ele poderia recuperar sua posição ao cometer uma forma bastante dolorosa de suicídio ritual, chamado “seppuku”.
Enquanto os códigos de conduta religiosa ocidentais proibiam o suicídio, no Japão feudal era o máximo em bravura. Um samurai que cometeu seppuku não apenas recuperaria sua honra, ele realmente ganharia prestígio por sua coragem em encarar a morte com calma. Isso se tornou uma referência cultural no Japão, tanto que mulheres e crianças da classe samurai também deveriam enfrentar a morte com calma se fossem apanhados em uma batalha ou cercos.
Muitas das primeiras obras literárias do Japão falam de guerreiros, mas o termo bushido não aparece em textos até o período Edo.

História do Bushido

Como surgiu esse sistema extraordinário? Já no século VIII, os militares escreviam livros sobre o uso e a perfeição da espada. Eles também criaram o ideal do poeta guerreiro, que era corajoso, bem-educado e leal.
No período intermediário entre os séculos 13 e 16, a literatura japonesa celebrava a coragem imprudente, a devoção extrema à família e ao senhor, e o cultivo do intelecto para os guerreiros. A maioria das obras que lidaram com o que mais tarde seria chamado bushido dizia respeito à grande guerra civil conhecida como a Guerra de Genpei de 1180 a 1185, que colocou os clãs Minamoto e Taira um contra o outro e levou à fundação do período Kamakura do shogunato.
A fase final do desenvolvimento do bushido foi a era Edo, de 1600 a 1868.
Este foi um tempo de introspecção e desenvolvimento teórico para a classe guerreira samurai porque o país tinha estado basicamente em paz por séculos. Os samurais praticaram artes marciais e estudaram a grande literatura de guerra de períodos anteriores, mas tiveram pouca oportunidade de colocar a teoria em prática até a Guerra Boshin de 1868 a 1869 e a posterior Restauração Meiji.
Tal como nos períodos anteriores, os samurais de Tokugawa olharam para uma era anterior e mais sangrenta da história do Japão como inspiração – neste caso, mais de um século de constantes guerras entre os clã de daimyos.

*Guilherme Seigo Matsumoto é formado em administração e comércio exterior pela universidade Mackenzie. Trabalha como Coordenador de Marketing e Processos e é vice-presidente da Comissão de Jovens do Bunkyo.
E-mail: guilhermeseigo@outlook.com

Comentários
Loading...