Brasil classifica equipes no masculino e no feminino para os Jogos Olímpicos de Tóquio

Bruna Takahashi, Caroline Kumahara, Jessica Yamada e Laura Watanabe com o técnico Hugo Hoyama Brasil classifica equipes no masculino e no feminino para os Jogos Olímpicos de Tóquio

Poucos que tem contato com o esporte, podem imaginar como é longa e árdua a jornada para se tornar um “Atleta Olímpico”.
O caminho é dividido em várias etapas, a começar com a escolinha/iniciação, quando inúmeras crianças já desistem, devido a falta de objetivo, foco, determinação e muitos não querem sair da zona de conforto, para praticar todos os dias e aguentar (gaman!!!)
Não é fácil treinar diariamente com qualidade, visando o alto nível, planejar o próprio desenvolvimento técnico, físico, emocional, nutricional, psicológico, e mais a pressão das competições em busca das medalhas e conseguir representar a equipe nacional.
Outra etapa, trata-se do intercâmbio técnico e cultural, com os países que dominam a modalidade, jogar profissionalmente no exterior, participação nos eventos internacionais e nacionais, busca por patrocínio, etc.
Aqui na América Latina, temos o direito de inscrever nas Olímpiadas, apenas 6 atletas no feminino (no individual mais 1 equipe e 1 dupla mista), portanto, as vagas são muito limitadas para os 20 países do continente, idem no masculino.
Para Tóquio 2020, o Comitè Olimpico Internacional mudou a forma de seletivas e a dividiu em dois eventos, por equipes (Lima Peru – outubro) e individual (Havana Cuba – abril).
No masculino o favoritismo do Brasil era total, pois temos os melhores atletas ranqueados no mundo, mais Hugo Calderano (6º ranking mundial).
Brasil com Hugo Calderano (World Ranking 6), Gustavo Tsuboi (WR 28), Vitor Ishiy (WR 64), Eric Jouti (WR 75).
No feminino era o famoso tira-teima, já que Porto Rico nos venceu por 2×3 nos Jogos Pan-americanos do Peru, mas ganhamos duas semanas depois por 3×1, no Campeonato Pan-americano no Paraguai.
O jogo de duplas era muito importante, pois Porto Rico tem a melhor latina no ranking Mundial, Adriana Diaz, número 27 no ranking mundial, que poderia ganhar seus dois jogos e levar sua equipe para Tóquio.
O resultado foi surpreendente e inesperado da equipe brasileira, vencendo de forma arrasadora por 3×0 conquistando a vaga olímpica.
Brasil, com Bruna Takahashi (World Ranking 53), Jessica Yamada (WR 144), Caroline Kumahara (WR 170), Laura Watanabe (WR 825).
Portanto, Brasil classificado em ambas categorias, masculino e feminino. Parabéns !!!

Comentários
Loading...