39ª edição da Festa de Flores e Morangos de Atibaia começa neste final de semana com exposição de fotos da Família Imperial Japonesa

(Arquivo – Aldo Shiguti)

Cultura, gastronomia, belas decorações com flores e morangos, além de lazer para toda a família, estarão presentes em mais uma edição da Festa de Flores e Morangos de Atibaia, que este ano chega a sua 39ª edição. Realizado pela Associação Hortolândia de Atibaia, o evento acontece entre 30 de agosto e 22 de setembro, sempre às sextas, sábados e domingos, no Parque Municipal Edmundo Zanoni, em Atibaia, e conta com apoio da Prefeitura Municipal de Atibaia.
Inspirado no tema “Bela Harmonia”, em referência à “Reiwa” – a nova era imperial japonesa que teve início no dia 01 de maio com a ascensão do imperador Naruhito ao trono japonês, os organizadores, em parceria com o Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, apresentará a exposição de fotos da família imperial japonesa em suas visitas ao Brasil.

Visitantes têm oportunidade de conferir as novidades em lançamentos de flores (Aldo Shiguti)

Visitas – A exposição, que ficará no hall de entrada do Pavilhão de Exposições, mostra fotos das três visitas realizadas pelo imperador Akihito e a imperatriz Michiko, duas delas ainda como Príncipes, ao Brasil, país que abriga a maior comunidade japonesa no mundo. As visitas realizadas testemunham o apreço e consideração que a família imperial tem pelo Brasil e pelos japoneses e seus descendentes aqui radicados.
As visitas, realizadas em 1967, 1978 e 1997 foram marcantes. A primeira, em 1967, foi na época em que tanto o Japão quanto o Brasil estavam em franca expansão econômica. A comunidade japonesa inteira se mobilizou para recepcioná-los no estádio do Pacaembu, que ficou completamente tomado pelos imigrantes, que cantaram emocionados o hino nacional japonês, enquanto a segunda geração cantava o hino nacional brasileiro. Já em 1978 a vinda do casal de Príncipes foi para as festividades comemorativas do 70º aniversário da imigração japonesa no Brasil, quando foi inaugurado o Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil; em 1997 vieram em visita oficial como imperadores do Japão.
Nos festejos do centenário da imigração, realizados em 2008, o imperador Akihito, impedido de viajar por motivos de saúde, foi representado pelo seu filho, o então príncipe Naruhito, que foi portador de um incentivo ao projeto de digitalização iniciado pelo Museu.
É relembrando todos estes momentos marcantes de suas visitas ao Brasil e com profundo sentimento de gratidão que o Museu está realizando esta Exposição em homenagem à passagem da Era Heisei.

Decoração é um dos charmes da Festa de Flores e Morangos (Aldo Shiguti)

Atrações – Além da exposição, a festa oferece muitos atrativos para o público que visita todos os anos o evento. São mais de 100 mil pessoas que passam pelo parque nos 12 dias para conferir as novidades em lançamentos de flores, gastronomia, shows culturais, pavilhão de exposição, mini shopping, salão do artesão, Museu da Historia Natural entres outros atrativos.
O visitante também tem a oportunidade de comprar flores e morangos diretamente dos produtores, para isso a Associação Pró-Flor tem um pavilhão de venda de flores dentro do evento, mudas, insumos, vasos, são mais de 5.500 itens para os visitantes.
A Associação de Produtores de Morangos e Hortifrutigranjeiros de Atibaia e Jarinu tem espaço reservado no evento, mais de 10 produtores de morangos participam trazendo uma grande variedade de morangos, os mais deliciosos e belos morangos, os famosos morangos de Atibaia.

Visitantes também podem saborear iguarias à base de morango (Aldo Shiguti)

39º Festa de Flores e Morangos de Atibaia
Data: de 30 de agosto até 22 de setembro de 2019
Às sextas, sábados e domingos
Horários: das 09h até 18h
Local: Parque Municipal Edmundo Zanoni, Av. Horácio Neto, 1030
Cidade: Atibaia, SP
Preços: R$ 19,00 à R$ 38,00
Telefone – 0800-555-979
www.floresemorangos.com.br

Festa começou como ‘Feira Agrícola’

Segundo o livro “50º Aniversário da Acenbra (Associação Cultural e Esoportiva Nipo-Brasileira de Atibaia) – 1952 a 2002”, lançado em 2005, Haruju Matsuoka iniciou a cultura de cravos no Brasil em 1954, em propriedade situada em Atibaia.
Ela importou as primeiras mudas do Uruguai, da variedade Shimu. “Em 1965, com a cultura do cravo em declínio, vários produtores optaram pelo cultivo de crisântemos em estufas, adotando o sistema de controle de foto período”, diz o livro, no cultivo de rosas os japoneses também se destacam na região.
Em 1968 teve início em Atibaia a “Feira Agrícola”, que começou como forma de agradecimento à terra e a agricultura, principal fonte de renda e sobrevivência da colônia japonesa na cidade, realizada no Trevo da Rodovia Fernão Dias.
Sem um calendário fixo anual, as festas se alternam e incorporam produtos. É em sua 6ª edição, em 1985, com a inclusão dos produtores de morangos que a festa passa a sua atual nomenclatura: Festa de Flores e Morangos de Atibaia, ano em que também inaugura o pavilhão de exposições no Parque Edmundo Zanoni, localizado no bairro Loanda, em Atibaia.

Produção de flores contribui para a economia do município

A produção de flores em Atibaia contribui sobremaneira para o PIB municipal. Dados da Secretaria de Agricultura indicam que o faturamento nacional com a produção de flores é de cerca de 1,2 bilhão de dólares. Considerando que Atibaia é responsável por 25% das flores produzidas no Brasil (volume de produção), pode-se estimar que o faturamento do município com a produção seja de aproximadamente 240 milhões de dólares.
Atualmente o município conta com uma área de aproximadamente 500 hectares para a produção de flores por ano. Levando-se em conta que no Brasil a área total é de 4.500 hectares e no Estado de São Paulo a área é de cerca de 1.200 hectares, Atibaia é responsável por cerca de 11% da área total do Brasil e cerca de 38% da área total do Estado de São Paulo.
São aproximadamente 400/500 produtores de flores na cidade, também um porcentual de 11% em relação ao país (são 3.600 produtores no Brasil). Segundo a Agricultura, 50% das flores são de corte, como, por exemplo rosa, crisântemo, etc.; 45% de vaso, como orquídea, crisântemo de vaso, dipladenia, etc.; 5% de flores de forração ou caixaria, como petúnia, begônia, amor-perfeito, etc..
A maioria da produção é comercializada na Ceagesp, em São Paulo, e no Ceasa, em Campinas. Além disso, 40% do total de flores comercializadas em Holambra são de Atibaia. Há flores cuja colheita ocorre várias vezes no decorrer de um ano, como a aster, por exemplo, que possibilita mais de um corte no período de um ano. Em Atibaia, também está um dos três maiores produtores de rosas do Brasil.
Mas por que Atibaia tornou-se grande produtora de flores? Algumas razões estão relacionadas ao clima e ao tipo de solo. O clima subtropical da cidade favorece o cultivo de flores. A localização é outro fator que contribui, já que sua posição geográfica, ao lado de grandes rodovias como a Fernão Dias e a Dom Pedro I, favorece o escoamento de toda a produção direto aos grandes centros consumidores e de distribuição, como a Ceagesp (São Paulo) e a Ceasa (Campinas). Atibaia está localizada em uma das regiões mais prósperas do Estado, a cerca de 60 quilômetros de três grandes centros: Campinas, São José dos Campos e da própria capital, São Paulo.
Outro fator é a tradição relacionada à cultura nipônica. A colônia de japoneses exerce grande influência nesse tipo de atividade, que é uma das principais da economia atibaiense. Hoje a produção de flores acontece em propriedades cujos donos são de diversas nacionalidades e descendências, mas quando foi iniciado o cultivo na cidade, as famílias japonesas predominavam. Foram essas famílias que trouxeram também técnicas que permitiram o avanço na produção.

Apresentação cultural também é destaque na programação (Aldo Shiguti)

PROGRAMAÇÃO

DIA 30/8 (SEXTA-FEIRA)

12H30: Kaito Taiko
14H: Wadan Taiko Ensemble Atibaia

DIA 31/8 (SÁBADO)

12H: Bon Odori (Atibaia)
13H: Grupo Raízes de Atibaia
14H: Fama Dance – Quinteto
15H: Kawasuji Seiryu Daiko de Atibaia
16H: Volga (Dança Russa)
17H: Bon Odori (Atibaia)

DIA 1/9 (DOMINGO)

12H: Bon Odori (Atibaia)
13H: Rambynas (Lituânia)
14H: Isba (Bielo-Rússia)
15H: Kawasuji Sdeiryu Daiko de Atibaia
16H: Gold Und Silber (Alemanha)
17H: Bon Odori de Atibaia

DIA 6/9 (SEXTA-FEIRA)

10H40: Grupo CCTI – Danças Ritmos
11H: Grupo CCTI – Dança Country
12H30: Kaito
14H: Wadan Taiko Ensemble Atibaia

DIA 7/9 (SÁBADO)

12H: Filha de Isis (Árabe)
13H: Bon Odori
14H: Orquestra de Viola Caipira de Bom Jesus dos Perdões
15H: Kawasuji Seiryu Daiko de Atibaia
16H: Sonnenblume (Alemanha)
17H: Bon Odori

DIA 8/9 (DOMINGO)

12H: Bon Odori de Atibaia
13H: Grupo Kagura Brasil (Teatro)
14H: Nostra Itália (Itália)
15H: Kawasuji Seiryuu Daiko de Atibaia
16H: Ishin Yoskoi Soran
17H: Bon Odori de Atibaia

DIA 13/9 (SEXTA-FEIRA)

10H40: Grupo CCTI (Danças Ritmos)
12H30: Kaito
14H: Wadan Taiko Ensemble Atinaia

DIA 14/9 (SÁBADO)

12H: Tirol (Áustria)
13H: Bon Odori Atibaia
14H: Nuaar (Árabe)
15H: Kawasuji Seiryu Daiko de Atibaia
16H: Zorbas (Grécia)
17H: Bon Odori de Atibaia

DIA 15/9 (DOMINGO)

12H: Bon Odori de Atibaia
13H: Awa Odori Represa
14H: Kawasuji Seiryu Daiko de Atibaia
15H: Santa Marta dos Navegantes (Portugal)
16H: Ryukyu Koku Matsuri Daiko (Taiko)
17H: Fanfarra Municipal de Atibaia

DIA 20/9 (SEXTA-FEIRA)

10H40: Grupo CCTI – Violão, Canto e Percussão
11H: Grupo CCTI – Violão, Canto e Percussão
12H30: Kaito
15H30: Kaito

DIA 21/9 (SÁBADO)

11H30: Kumamoto Rizumu Melody Dance
12H: Bon Odori de Atibaia
13H: Orquestra COC
14H: Grupo Pandora (Árabe)
15H: Kawasuji Seiryu Daiko de Atibaia
16H: Coppelia Ballet
17H: Bon Odori Atibaia

DIA 22/9 (DOMINGO)

11H: Demonstração de Sumô
12H: Bon Odori de Atibaia
13H: Fujinkai de Nazaré
14H: Kawasuji Seiryu Daiko de Atibaia
15H: Shinsei Acal
16H: Balalaika (Dança Russa)
17H: Bon Odori (Atibaia)

*Programação sujeita a alteração sem aviso prévio

Comentários
Loading...