1ºNIKKEI YUUKOUKAI=Encontro reúne jovens de São Paulo e de Manaus para troca de experiências e conhecimentos

Confraternização com a presença de todos os participantes no Manaus Country Club

O Consulado Geral do Japão em Manaus, em conjunto com alguns jovens de São Paulo, realizou de 22 a 24 de março, em Manaus (AM), o 1º Encontro dos Jovens Nikkeis (“Nikkei Yuukoukai”). Segundo a cônsul geral do Japão em Manaus, Hitomi Sekiguchi, o evento surgiu de uma conversa com alguns jovens de São Paulo, entre eles Márcia Nakano,  Marcelo Hideshima e Claudio  Kurita,  sobre  como  integrar  as comunidades nikkeis de fora de São Paulo. “Ao palestrar sobre a comunidade nikkei de Manaus no 10º FIB [Fórum de Integração Bunkyo, realizado em setembro do ano passado, no Bunkyo], percebi que muitas pessoas ficaram interessadas em conhecer a história da imigração na Amazônia e as atividades dos nikkeis desta região. Assim, alinhando com os jovens de São Paulo, marcamos esse encontro para um primeiro contato com o grupo jovem de Manaus e se conhecerem entre si, cada qual apresentado as suas atividades”, disse Sekiguchi, acrescentando que, “além disso, o grupo de São Paulo promoveu um workshop sobre a Identidade Nikkei que já  era desenvolvido em cidades do interior paulista e Paraná”.

De São Paulo, participaram deste primeiro encontr oAlexandre Kawase (presidente da JCI Brasil-Japão 2010), Alexandre Shodi Nomura (presidente da JCI Brasil-Japão 2016), Carla Okubo (Intercambista do Projeto Havai e Japão e membro do Bunkyo), Claudio Kurita (vice-presidente da Associação Pan-Americana Nikkei e diretor da Asasociação Brasileira de Ex-Bolsistas do Gaimusho Kenshusei), Erick Nakandakare (Nippon Country Club), Hugo Teruya (ex-presidente do Seinenkai da Associação Okinawa de Vila Carrão e secretário-geral da JCI Brasil-Japão – gestão 2019), Marcelo Hideshima (ex-presidente da Associação Brasileira de Ex-Bolsistas do Gaimusho Kenshusei e vice-presidente do Bunkyo), Marcia Mariko Nakano (presidente da JCI Brasil-Japão – gestão 2017), Paulo Kenzo Uemura (diretor da Associação Brasileira de Ex-Bolsistas do Gaimusho Kenshusei) e Rodolfo Wada (atual presidente da JCI Brasil-Japão), além do presidente do Hospital Santa Cruz, Renato Ishikawa.

De Manaus, estiveram presentes Nobuo Miki, Kyoko Matsuda, Bruno Nishikido, Erika Miyamoto, Kenjiro Higashi, Lincon Nozawa, Rodrigo Fujii, Takashi Matsuura, Yohei Miura Mayara Miki e Erika Tomioka, participantes e integrantes do Niuppaku Manaus.

 

Comprometimento – Sekiguchi destaca que, além desse trabalho de integração, o grupo de Manaus apresentou o andamento das atividades comemorativas dos 90 Anos da Imigração Japonesa na Amazônia, marcadas para setembro. “Creio que esse I Nikkei Yuukoukai tenha sido um grande aprendizado para ambas as partes, mas acima de tudo, pude testemunhar o firme comprometimento dos jovens nikkeis tanto de São Paulo como de Manaus em dar continuidade à história da comunidade nikkei, com a consciência de carregar os valores de um descendente de japonês. Após 110 anos, a imigração japonesa escreve uma nova página em sua história, tendo como protagonistas esses nikkeis que são o fruto da luta e dedicação  dos  imigrantes japoneses”, destacou Sekiguchi, acrescentando que “esse  primeiro  encontro  inspirou  a  todos,  e  juntos,  os grupos concordaram em dar continuidade a essa integração, para que aconteça mais vezes e poder criar uma ampla rede conectando os nikkeis de norte a sul do Brasil”.

Para Márcia Mariko Nakano, o trabalho foi facilitado pela “bela atuação da cônsul Hitomi Sekiguchi”, em suia passagem por São Paulo. “Ela deixou muitos admiradores por aqui, o que facilitou a mobilização de jovens do Bunkyo, JCI Brasil-Japão e Associação de Ex-Bolsistas do Gaimusho Kenshusei. Além disso, contamos com a honrosa presença do presidente do Hospital Santa Cruz, Renato Ishikawa, na comitiva”, disse Marcia, lembrando que a “história da imigração japonesa em São Paulo e Manaus tiveram suas peculiaridades, assim como a influência da comunidade nikkei em ambas as cidades se desenvolveu de formas distintas”.

“O intuito desse encontro foi o de proporcionar a troca de experiências e conhecimentos entre os grupos, fomentar o estreitamento da relação entre os jovens, além de promover um debate visando o levantamento de idéias para a celebração dos 90 anos da imigração japonesa em Manaus”, explicou.
Para Nobuo Miki, líder do Grupo de Jovens de Manaus, “o grupo de São Paulo demonstrou uma forte liderança onde atuam, e apesar de tão jovens, sabem bem o papel e o objetivo dentro da comunidade nipônica”. Segundo ele, essa experiência fez com que o “sentimento sobre a nossa liderança fosse despertado no sentido de manter os valores que vem passando de gerações dentro da comunidade nipônica, e mais do que isso, ampliar a nossa cultura dentro da sociedade como um todo”. Baseado neste despertar, Nobuo Miki conta que espera celebrar os 90 anos da imigração Japonesa na Amazônia, realizando “uma grande festa onde possamos transmitir esses valores para comunidade amazonense”.

 

Energia positiva – Para o presidente do Hospital Santa Cruz, Renato Ishikawa, poder participar do encontro com jovgens de São Paulo e Manaus “foi uma grande honra e prazeiroso”. “Estar entre os jovens dinâmicos e cheios de energia positiva é sempre revigorante”, disse Ishikawa, afirmando que, “pessoalmente, gostei muito de participar de um workshop coordenado por Alexandre Kawase  na busca de identidade ou os pontos fortes da comunidade nikkei, como ela é visto por toda sociedade”. “Este é um trabalho que está em andamento e vai continuar levantado opiniões e dados para no futuro consolidar e ser divulgado”, afirmou.

(Aldo Shiguti)

 

Comentários
Loading...