1º Tooro Nagashi de Promissão reforça cultura japonesa na região Noroeste de São Paulo

(Evandro Macedo)

Um dia para homenagear os antepassados e também para celebrar. Dia 2 de novembro certamente já faz parte da história dos promissenses com a realização do 1º Tooro Nagashi em Comemoração à Era Reiwa – Uma homenagem aos antepassados imigrantes pioneiros. Realizado pela Associação Cultural Esportiva Nipo-Brasileira de Promissão (Acenpro) e pela Prefeitura de Promissão, no Parque das Águas, a cerimônia contou com a presença do cônsul geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi – que na sexta-feira (1) prestigiou o 65º Tooro Nagashi de Registro, no Vale do Ribeira – do prefeito Artur Manoel Nogueira Franco e da primeira dama do municipio, Andrea Novaes Franco; do presidente da Federação das Associações Culturais Nipo-Brasileiras da Noroeste, Shinichi Yassunaga, e do secretário geral do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Celso Mizumoto – na oportunidade representando o presidente da entidade, Renato Ishikawa, além de dirigentes de associações da Noroeste.
O ato de homenagear os entes queridos com a soltura de barquinhos (tooros) foi realizado pela primeira vez na região e acabou atraindo muita gente, incluindo de cidades vizinhas, ao parque – que recebeu uma decoração especial com tyotins (lanternas japonesas).

Primeiro Tooro Nagashi da região Noroeste de São Paulo aconteceu no Parque das Águas (Aldo Shiguti)

Com tempo bom, a programação teve início por volta das 18 horas, com a celebração de um culto ecumênico pela sacerdotisa Tijo Okayama, do Templo Honpa Hongawaji, de Lins, e que contou com a participação do padre André Lemos, da igreja católica Matriz de Promissão.
Tijo Okayama lembrou que era a primeira vez que celebrava uma cerimônia de tooro nagashi desde que veio como oficiante e por isso consultou outras instituições para o evento. Segundo ela, “é muito gratificante nos reunirmos com o intuito de agradecer nossos conterrâneos que aqui vieram e deram suas vidas para que hoje pudéssemos estar aqui”.
Em seguida, ela explicou o signficado do Tooro Nagashi citando como referência a cerimônia realizada na sua província natal, Kumamoto. Lá, disse Okayama, o Tooro Nagashi acontece em três dias de agosto (14, 15 e 16) e no primeiro dia o pai – ou chefe de família – vai até a igreja buscar a lanterna e a deixa no oratório por três dias. No terceiro dia, já ao entardecer, ele leva a lanterna de volta ao mesmo templo para ser levada “mar adentro ou rio abaixo”.

A sacerdotiza Tijo Okayama (Aldo Shiguti)

Tufão Hagibis – “No Brasil, a cerimônia do Tooro Nagashi já existe há 65 anos na cidade de Registro e este ano está começando na região Noroeste, onde espero que seja realizado com os mesmos sentimentos”, observou Okayama. Já o padre André Lemos falou sobre a importância de reverenciar o passado e agradeceu os organizadores “por lembrar dos nossos falecidos”. “Estamos fazendo valer o tempo presente pois não podemos olhar para o futuro se não lembrarmos o passado”, afirmou.
Na sequência, foi feito um minuto de silêncio em homenagem aos antepassados e às vítimas do tufão Hagibis, que deixou mais de 70 mortos, além de causar prejuízos às indústrias agropecuária, silvícola e pesqueira.

O padre André Lemos (Aldo Shiguti)

Novo ciclo – Em seu discurso, o presidente da Acenpro, Fábio Maeda, destacou sua felicidade em poder realizar em Promissão o primeiro Tooro Nagashi da região Noroeste do Estado de São Paulo com o objetivo “de homenagear os imigrantes pioneiros que chegaram à região e que contribuíram para o nosso desenvolvimento”.
“Segundo a cultura japonesa, no Dia de Finados, os antepassados retornam para visitar suas famílias, que no final da tarde soltam uma lanterna (tooro) no rio para que esse familiiar descanse em paz. Esse é o sentido do Tooro Nagashi”, explicou Maeda, acrescentando que, “pela quantidade de tooros – ou lanternas da paz – que soltaremos no dia de hoje podemos perceber o sentimento de gratidão que os senhores e senhoras têm pelos seus antepassados e pelos imigrantes pioneiros”.

Fábio Maeda: “Início de um novo ciclo” (Aldo Shiguti)

Maeda lembrou ainda que, em 2018, Promissão foi uma das cidades escolhidas para recepcionar Sua Alteza Imperial, a princesa Mako, “o que deixou muitas saudades em todos nós”. “E nesse ano estamos comemorando a nova Era Reiwa, que teve início no Japão com a ascensão do imperador Naruhito. Tenho certeza de que, assim como a nova era Reiwa que se inicia, um novo ciclo da comunidade nikkei também se inicia, com novas formas de manter e divulgar a cultura japonesa”, destacou Fábio Maeda, que finalizou seu discurso desejando a todos uma era de paz, felicidade e prosperidade.

Prefeito Artur Nogueira: “Sou fã da cultura japonesa” (Aldo Shiguti)

Pioneirismo – O prefeito Artur Manoel Nogueira Franco também iniciou sua fala lembrando a visita da princesa Mako e do Almoço em Comemoração à Nova Era Reiwa realizado em junho, que finalizou as comemorações do Centenário da Colonização Japonesa e os 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil na cidade de Promissão. “E hoje, de forma pioneira, estamos realizando este evento do Tooro Nagashi. Uma homenagem aos pioneiros, àquelas pessoas que realmente contribuíram para construção da nossa terra querida e por isso somos gratos a toda comunidade japonesa pela contribuição à formação da nossa cidade. Eu, como prefeito, me sinto honrado de estar participando de mais esta solenidade”, destacou Artur Nogueira, que ao Jornal Nippak revelou que é “fã da comunidade japonesa”. “Fico bem à vontade em participar destes eventos porque, na realidade, a gente demonstra aquilo que a gente verdadeiramente está sentindo”, afirmou.
Segundo ele, este deve ser o primeiro de muitos Tooro Nagashi. “Já falamos com o pessoal da organização e da autarquia para nós aprimoramos o evento para o próximo ano, inclusive com a instalação de um acesso ao lago para a soltura dos barquinhos”, antecipou o prefeito, acrescentando que “este Tooro Nagashi já é um marco para a minha administração”. “Costumo dizer que a recepção à princesa foi o evento mais importante do meu governo e, com certeza, este Tooro Nagashi também ficará marcado em razão do pioneirismo e em razão de tudo que representa”.

O prefeito, Fábio Maeda, cônsul Yasushi Noguchi e Yassunaga (Aldo Shiguti)

Marco – Representando o presidente do Bunkyo, o secretário da entidade, Celso Mizumoto, observou a importância da região para a história da imigração japonesa com a Colônia Hirano, em 1915, e com Colônia Uetsuka, em 1918. “Era uma cerimônia que faltava para esta região e que já existe há 65 anos em Registro. É um marco muito importante que representa respeito, admiração e agradecimento aos antepassados que realmente faz jus principalmente à Colônia Hirano, que passou por uma série de dificuldades, primeiro, acometidos na parte econômica pela seca e pelos gafanhotos, e depois pela malária, que acabou causando muitas mortes. Todas essas dificuldades e sofrimentos estão sendo agora reconhecidos e agradecidos”, disse Mizumoto, afirmando que “é realmente um marco muito significativo para a comunidade nipo-brasileira”.
Já o cônsul geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi, disse estar muito feliz e cumprimentou o prefeito “por estar sempre presente nos eventos da comunidade de Promissão”. “Estive no Tooro Nagashi de Registro e pude observar que esta tradição da cultura japonesa está se espalhando pelo Brasil, o que é muito bom para nós, sobretudo porque o tooro nagashi expressa respeito aos antepassados e esta tradição japonesa de respeitar os antepassados é um dos costumes mais admirados pelo povo brasileiro”, destacou o cônsul, que parabenizou a Acenpro.

Cônsul: “Tradição está se espalhando pelo Brasil” (Aldo Shiguti)

Mudanças – Ele explicou ainda que, neste ano em que comemoram-se os 111 anos da imigração japonesa, “temos muitas mudanças aqui no Brasil e também no Japão”. “No Brasil, temos um novo governo e no Japão, temos um novo imperador e, com ele, o início de uma nova era, a Era Reiwa, que significa bela harmonia. O povo japonês tem muitas expectativas para que seja uma era muito bonita, de prosperidade e de estabilidade não só para o Japão como também para todo mundo”, disse ele, esclarecendo que, apesar destas mudanças “espero que os dois países aprofundem ainda mais suas relações”. E concluiu afirmando que o Japão vai continuar chamando a atenção do mundo nos próximos anos com a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos em Tóquo, em 2020, e com a Expo Mundial, em Osaka, em 2025.

Repercussão – Após os discursos, teve início o momento tão aguardado por todos, a soltura dos barquinhos. O público e as autoridades se dirigiram à represa formada pelo rio dos Patos para a homenagem. O tooro com o nome de Shuhei Uetsuka foi levado pelo cônsul enquanto Fábio Maeda depositou na água o tooro em homenagem a Sassaichi Masaki. Também a Associação Cultural Agrícola e Esportiva Hirano de Cafelândia participou homenageando as cerca de 70 vítimas da malária no início de sua colonização. As famílias de Hirano também homenagearam seus entes queridos. De acordo com Fábio Maeda, para esta primeira edição foram confeccionados cerca de mil tooros com a ajuda da Legião Mirim de Promissão.
O público acompanhou das margens, maravilhado com o espetáculo. Como a aposentada Rosa Nakamura, que só tinha visto a cerimônia em filmes. O casal Luis Carlos e Fabiana Satake também estava emocionado. Ao lado dos filhos Luis Miguel de 1 ano e 8 meses, e Luis Fabiano, de 7 anos, e dos pais de Fabiana, Hiro Satake e Sebastiana Aparecida Satake, eles estavam prestando homenagens aos avós de Fabiana, Sueko e Atushi Satake.

O casal Luis Carlos e Fabiana Satake com os filhos: “Emoção” (Aldo Shiguti)

Para 2020 – A programação artística, que manteve o clima harmônica do evento, contou com apresentações da Camerata do Sesi – Projeto do Maestro João Carlos Martins – sob regência do maestro Fernando Augusto Dal Médico, do Coral da Associação Nipo-Brasileira de Araçatuba e do Coral Madrigal Paralellus , também de Araçatuba. A pequena Kaori Yokota e a banda Nipo de Araçatuba – que animou o público com bom odori e matsuri dance – encerraram o 1º Tooro Nagashi.
Fábio Maeda, que fez um balanço positivo do evento, disse ao Nippak que para a próxima edição, “pretendemos fazer algumas correções pontuais e alguns ajustes”. “Vamos tentar incluir algumas atrações para o público jovem e para as crianças, mas sem esquecer o cunho religioso do evento”, finalizou Maeda.

Cônsul Yasushi Noguchi e prefeito com dirigentes da Noroeste (Aldo Shiguti)
Comentários
Loading...