17ª edição do Okinawa Festival reúne ‘toda cultura de Okinawa’ em um único evento

Programação do Okinawa Festival traz apresentação de danças com trajes típicos de Okinawa (Arquivo – Aldo Shiguti)

Depois do 31º Kyodo Matsuri – Miss Ryuso, realizado pela Associação Okinawa Kenjin do Brasil e Centro Cultural Okinawa do Brasil em Diadema (região do ABCD paulista), a cultura okinawana continua em alta em São Paulo. Desta vez com a realização do 17º Okinawa Festival, que acontece neste final de semana (3 e 4), no Centro Educacional e Esportivo Vicente Ítalo Feola, na Vila Manchester (zona Leste de São Paulo). Realizada pela Associação Okinawa de Vila Carrão, a expectativa é receber um público estimado em cerca de 15 mil pessoas nos dois dias.
Segundo o presidente da Comissão Organizadora deste ano, Mário Uehara, o objetivo da festa é agradecer a acolhida que os pioneiros tiveram na região, considerada um forte reduto de descendentes de okinawanos em São Paulo. “Meu pai mesmo quando veio da Bolívia foi muito bem recebido pelos moradores, por isso o sentimento é sempre de gratidão”, explica Uehara, lembrando que ele próprio nasceu no bairro.
Este ano, um dos destaques é a presença dos convidados internacionais Claudia Oshiro e Kazufumi Miyazawa, que farão o encerramento no sábado. Intérprete de grandes sucessos como Shima Uta e fundador das bandas The Boom e Ganga Zumba – esta última criada em parceria com o percussionista Marcos Suzano – Miyazawa também fará o encerramento no domingo com a Banda Tontonmi, além de cantar com os grupos Ryukyu Koku Matsuri Daiko e Requios Gueino Doukoukai.
O evento conta ainda com diversas atrações – como diz a peça publicitária “toda a cultura da ilha de okinawa reunida numa única festa”. Serão cerca de 140 expositores, sendo mais da metade de alimentação, além de apresentação de danças típicas, taiko e artes marciais.
O evento, que faz parte do Calendário Muncipal e Estadual de São Paulo e conta com parceria da Associação Okinawa Kenjin do Brasil e Centro Cultural Okinawa do Brasil, tem ainda como destaque os grupos de taiko Requios Gueinou Doukoukai e Ryukyu Koku Matsuri Daiko. Juntos, os dois grupos somam mais de 600 tocadores e costumam apresentar suas novas coreografias no palco do Okinawa Festival.
Outro momento bastante aguardado pelo público são as demonstrações das academias dos mestres Flavio Vicente de Souza e Yasunori Yonamine.Já o Urizun – Círculo de Ex-Bolsistas de Okinawa realizará oficinas e workhops culturais e, este ano, contará com a 1ª Expo Shi Cho Son – Exposição das Cidades da Província de Okinawa”, com informações de 20 das 41 cidades de Okinawa.

Social – A entrada é gratuita, mas os organizadores solicitam a contribuição com 1 kg de alimento que serão doados para 12 entidades assistenciais, sendo quatro da comunidade nikkei (Enkyo, Kodomo-no-Sono, Kibô-no-Iê e Ikoi-no-Sono) e as demais da região. Em 2018, lembra o coordenador da 16ª edição, Mário Shinzaki, foram arrecadados cerca de 18 toneladas de alimentos.
Outra recomendação dos organizadores é para optar pelo transporte coletivo ou táxis e aplicativos, pois o local não conta com estacionamento. Há ônibus de linha que saem da estação Vila Carrão do metrô.

17º OKINAWA FESTIVAL
QUANDO: DIAS 3 E 4 DE AGOSTO. SÁBADO, DAS 11 ÀS 21 HORAS E DOMINGO, DAS 11 ÀS 20 HORAS
ONDE: CEE VICENTE ÍTALO FEOLA (PRAÇA HAROLDO DALTRO, S/Nº)
ENTRADA FRANCA. OS ORGANIZADORES SOLICITAM A CONTRIBUIÇÃO COM 1 KG DE ALIMENTO
INFORMAÇÕES PELO TELEFONE: 11/2296/1120

Comentários
Loading...