JCI Brasil-Japão apresenta a ‘Magia Oriental’ nos 110 Anos

Kevin Iwassaki, Mario Kamia, Youri e Edson Iawassaki: o quarteto mágico da JCI Brasil-Japão (Divulgação)
Kevin Iwassaki, Mario Kamia, Youri e Edson Iawassaki: o quarteto mágico da JCI Brasil-Japão (Divulgação)

Para celebrar os 110 anos da imigração japonesa no Brasil, a JCI Brasil-Japão realiza, nos dias 2 e 3 de junho, no Teatro Arthur Rubinstein (Hebraica), no Jardim Europa, o espetáculo “A Magia Oriental – 110 Anos Brasil-Japão”. Como o próprio nome sugere, trata-se de um show de mágica que reunirá três grandes ilusionistas nacionais – Mário Kamia, Edson Iwassaki e Kevin Iwassaki – e uma atração internacional, o mágico japonês Youri. No total, serão quatro sessões, sendo duas no sábado e duas no domingo, nos dois dias às 15 e 18 horas.
“Quando idealizamos o evento, a ideia era criar algo diferente, inusitado, que fugisse da rotina de bazares e rifas”, explica o senador da JCI Brasil-Japão, Leandro Hattori, lembrando que o show reunindo quatro mágicos descendentes de japoneses começou a ser formatado em 2012 durante as comemorações dos 30 anos da JCI Brasil-Japão e ganhou força no final do ano passado, durante o Bonenkai da organização. “Fizemos o planejamento e estamos trabalhando com o evento desde janeiro deste ano”, conta Hattori.

Leandro Hattori com o ilusionista Mário Kamia
Leandro Hattori com o ilusionista Mário Kamia

Escapismo – Com uma hora e meia de duração cada sessão, o “quarteto mágico” só dividirá o palco para uma apresentação conjunta na abertura. “É o tipo de apresentação que gosto, com participação do público, bem diferente das que costumo fazer, que são mais voltadas para o corporativismo”, explica Mário Kamia, reconhecido como um dos maiores ilusionistas do Brasil. Terceira geração de uma família de artistas e com mais de 20 anos de experiência no ramo de entretenimento e show business, Mário Kamia conta que, nas apresentações fechadas para empresas, “a reação do público é difrente”.
Epecialista em criar e desenvolver espetáculos corporativos e efeitos especiais de grande porte e precursor da combinação entre tecnologia e ilusionismo que envolve sincronia, performance musical e efeitos especiais, sua performance terá 4 atos, “incluindo números de escapismos em que vou arriscar a vida”.

Copperfield – Com apresentações no México, Estados Unidos, Coreia e Argentina, entre outros países, Kamia afirma que a mágica nunca saiu de moda. “Seja adulto ou criança, a mágica ainda encanta. Quem assiste um espetáculo não esquece jamais”, diz o ilusionista, que tem em seu currículo número de escapismo da “Camisa de Força”, veiculado pelo programa “Fantástico” da Rede Globo. Para o mágico, aliás, um dos maiores desafios da sua carreira. “Me preparei por quase um ano, porém, numa altura de apenas 3 metros, sendo que na apresentação final, teria que encarar 30 metros de altura”, lembra ele, para quem o julgamento que seu colega de profissão David Copperfield está enfrentando – no qual o ex-chef de cozinha britânico Gavin Cox pede o pagamento de indenização por acidente ocorrido em 2013, no MGM Grand Resort, em Las Vegas, durante a execução de uma mágica –, “traz a mágica em evidência”. “Erros acontecem”, minimiza Kamia, afirmando que, particularmente nunca teve qualquer espécie de incidente com nenhum espectador da plateia.
“Quando comecei, tudo era mais difícil e complicado pois quase não tínhamos acesso às informações, diferentemente de hoje”, diz o mágico, acrescentando que nesse meio “é preciso estar sempre em constante renovação e inovando”. “Nossa grande dificuldade hoje é trabalhar com grandes equipamentos porque eles exigem grandes espaços e pessoas para trabalhar. Por isso o Brasil tem poucos profisisonais que trabalham com grandes ilusões”, explica.

Quem são – Como Edson Iwassaki e seu filho, Kevin. O pai é um ilusionista brasileiro que atua no mercado corporativo desde 1997 e desde os anos 2000 tornou-se conhecido pelo grande público após diversas aparições em programas de TV, como Programa da Eliana (Rede Record), em que ficou no ar por 6 anos com aparições semanais. Já Kevin começou na arte da mágica com apenas 8 anos de idade e com 12 já se apresentava em programas de televisão como mágico. Hoje, aos 22, o jovem viaja por todo o Brasil com seu espetáculo e assim como o pai também coleciona aparições em programas de TV.
Com diversos prêmios em sua carreira, o japonês Youri foi escolhido como representante do seu país no Campeonato Mundial “FISM Asia”, em 2017.
(Aldo Shiguti)

A MAGIA ORIENTAL – 110 ANOS BRASIL-JAPÃO
Quando: dias 2 e 3 de junho, às 15 e 18 horas
Onde: Teatro Arthur Rubinstein (Clube Hebraica): Rua Hungria, 1000 – Jd. Europa
Ingressos: R$ 80,00 e R$ 40,00 (crianças, idosos e estudantes)
Informações: www.amagiaoriental.com.br
E-mail: ingressos@jcibrasiljapao.org.br
Telefone: 11/9 9657-1930

Comentários
Loading...