Homenagem a Astro da música Saijo Hideki

O cantor japonês Saijo Hideki faleceu aos 63 anos, vítima de insuficiência cardíaca no dia 16 de maio.
O artista pop veio a São Paulo em 16 de setembro de 2012 para participar de um show que emocionou uma plateia de 4 mil pessoas. Foi a segunda vinda ao Brasil em 23 anos, pois também participou do programa de TV Japan Pop Show em 1989.


Aqui reproduziremos a matéria publicada em 2012 para homenagear este astro da música popular japonesa.

De volta ao Brasil depois de 23 anos
Saijo Hideki participou do show Dream Concert
Performance emocionada e aplausos ensurdecedores
18 de setembro de 2012

Nikkey Shimbun de 18 de setembro de 2012


“Quando reparo que estou de volta depois de 23 anos, sinto meus olhos lacrimejarem. Espero que todos gostem!” Foi assim que Saijo Hideki (Hiroshima, 57 anos) começou sua apresentação logo que pisou no palco. Anteriormente, em 1989, ele tinha vindo ao Brasil participar do programa de TV Japan Pop Show. Desta vez, ele foi convidado para participar da 4ª edição do Dream Concert, uma realização da Croc Mídia Comunicação e Eventos e que começou como uma homenagem aos 101 anos da imigração japonesa ao Brasil. O show aconteceu no dia 16, na Via Funchal , em São Paulo, e o palco foi dividido com oito cantores talentosos da comunidade nikkei, dentre eles, Kunihiro Tanahara, vencedor da edição do ano passado (((N. do T.: a biografia de Tanahara na internet diz que ele venceu o Grand Prix de 2012, o mesmo ano do Dream Concert))) do Paulistão, Mônica Misawa, Cintia Nishimura e outros. Muitos que prestigiaram o cantor há 23 anos aproveitaram a ocasião para vê-lo mais uma vez.

Saijo Hideki começou sua carreira em 1972 cantando “Koi suru Kisetsu (Temporada do Amor)”. Virou um dos ídolos de maior sucesso da época, ao lado de Go Hiromi e Noguchi Goro, ficou conhecido por seu estilo próprio de cantar denominado “zesshokei (canto entusiasmado)” e se destacou dos pares com suas performances exageradas. Além de ter participado repetidas vezes no Festival da Canção Japonesa – Kohaku Utagassen da NHK, também fez incursões no cinema, TV e teatro, realizando shows do exterior e inclusive escrevendo livros.
Em 2003, sofreu um acidente vascular cerebral que o deixou com disartria (dificuldade de articular as palavras), um traumatismo quase fatal para a carreira. Voltou a cantar depois de fazer reabilitação, mas, em dezembro de 2011 sofreu um segundo AVC que o deixou com paralisia do lado direito do corpo.
Na coletiva de imprensa que deu no dia 14, apesar de arrastar um pouco a perna, abriu um sorriso para os repórteres e afirmou que está bem de saúde. “Pensei que só viria ao Brasil uma vez na vida. É uma oportunidade muito rara fazer outro show no mesmo lugar depois de 23 anos. Quero tratar o reencontro com esses fãs de 23 anos com muito carinho”.
No dia 16, o concerto reuniu um público de 4 mil pessoas. A noite começou com “Mister Summer Time” cantado pelos cantores nikkeis e a plateia recebeu Hideki com grande efervescência em sua entrada ao som do sucesso “Jonetsu no Arashi (Tempestade da Paixão)”.
Na primeira parte do show, o cantor interpretou “Koi Suru Kisetsu (Temporada do Amor)” a música de estreia que o artista confessou que não cantava há 40 anos e emendou com “Dakishimete Jiruba (Abrace e Dance)”. Os cantores nikkeis também mostraram todo o talento interpretando as melhores músicas do repertório de cada um.
Quando Hideki lembrou que “quem tinha 20 anos de idade há 20 anos agora já está bem maduro”, a plateia descontraída reagiu com comentários como: “Eu tenho 53!”. O cantor elogiou a vibração do público: “Sinto um grande calor. Sinto a energia em cada batida de palma”.
Na segunda parte do show, o cantor fez sua apresenta鈬o solo, trazendo dez músicas de seu repertório, dentre elas “Santa Maria no Inori (A Oração de Santa Maria)”. Ao interpretar seu maior sucesso “Young Man – YMCA” a potência de sua voz fez esquecer qualquer resquício de sequela que ainda pudesse demonstrar. Todos os participantes fizeram a coreografia do “YMCA” e os aplausos não cessaram mesmo depois de fechadas as cortinas.
Kumiko Matsunaga (nissei, 65 anos) que também assistiu ao show de 23 anos atrás disse em tom saudoso: “Quando eu era adolescente, cantava e dançava as músicas do Saijo Hideki toda vez que nos reuníamos e isso é uma lembrança inesquecível”. Elene Hara (Sansei, 27 anos) disse ter ficado arrepiada de emoção.

Comentários
Loading...