HAICAI BRASILEIRO: Bica – Cascudo – Samambaia

O Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô (1644-1694). O haicai caracteriza-se por descrever, de forma breve e objetiva, aspectos da natureza (inclusive a humana) ligados à passagem das estações. Hoje, no mundo inteiro, pessoas de todas as idades e formações escrevem haicais em suas línguas, atestando a universalidade dessa forma de expressão.

Envie seus haicais (no máximo três de cada tema sugerido) digitados ou em letra legível, com nome (mesmo quando preferir o uso de pseudônimo), endereço e RG.

Cada pessoa pode participar com apenas uma identidade.

A seleção dos trabalhos é feita pelos haicaístas Edson Kenji Iura e Francisco Handa.

Envie suas cartas para:

Haicai Brasileiro

A/C Jornal Nippak

Rua da Glória, 332

CEP 01510-000 São Paulo-SP

E-mail: jornaldonikkey@yahoo.com.br

Cc. ashiguti@uol.com.br

 


A Natureza como recriação (11)

Podemos ter uma ideia a respeito de uma situação, que pode se transformar em haicai. Levando-se em consideração a utilização correta do kigô e o domínio da métrica, começa o jogo da composição. Isso é possível. Mas nem sempre se dá desta forma. Não é a partir de uma ideia que o haicai acaba acontecendo, como se a ideia fosse a semente de algo de que poderia originar-se o haicai. Outras condições são necessárias. O haicai surge a partir da utilização de palavras, que começam a dar sentido a uma possível composição. Supondo-se que existia anteriormente uma ideia, isso vai se modificando quando as palavras vão compondo uma situação diferente da planejada.

Ainda que alguns componham a partir unicamente de ideias, prefiro outra técnica que permite que as próprias palavras criem, por um momento, fugindo do controle do haicaísta. Uma palavra pode puxar outra palavra, assim como a modificação acontece quando se leva em consideração a métrica. Se a ideia existia anteriormente, no haicai acabado o que se apresenta é algo bem diferente. Este é o processo de criação.

 

 


TEMAS DE JANEIRO

Bica – Cascudo – Samambaia

 

Pesca de cascudo…

todos cobertos de lama

chegam os pescadores.

Benedita Azevedo

Magé, RJ

Sopra o vento forte…

a samambaia de metro

pra lá e pra cá.

Benedita Azevedo

Magé, RJ

Solitário no parque

Observo o cascudo –

Tarde quente.

Carlos de Campos Teixeira Jr.

Biritiba Mirim, SP

Herança da avó –

Os galhos da samambaia

alisam o chão.

Cristiane Cardoso

São Paulo, SP

na Serra do Mar

as encostas orvalhadas

sol e samambaias

Débora Novaes de Castro

São Paulo, SP

toda noitinha

com cascudos nas mãos

papai voltava feliz

Elisa Campos

São Paulo, SP

Nada de pedra –

Apalpo um cascudo,

sem mesmo notar.

Fernando de Azevedo Alves Brito

Vitória da Conquista, BA

Na feira, a fieira

do peixe mais procurado…

Cascudo limpo.

Iraí Verdan

Magé, RJ

Nas ramas longas

da samambaia de metro –

Caminha o inseto.

Iraí Verdan

Magé, RJ

cortina natural

frondes de samambaias

vedam a morada

Irene M. Fuke

São Paulo, SP

em tocas de pedras

meninos enfiam as mãos –

pesca de cascudos

José Marins

Curitiba, PR

com fita vermelha!

a samambaia viceja

num canto da sala

José Marins

Curitiba, PR

nas mãos enrugadas

devagar a água escorre…

bica na mata

Regina Alonso

Santos, SP

No bosque urbano,

A bica bem preservada –

Alunos visitam.

Reneu Berni

Goiânia, GO

Sem nada de espinhos,

Pr’alegria dos pequenos –

Cascudo na mesa.

Reneu Berni

Goiânia, GO

cascudo ao molho –

das receitas da mãe

o preferido

Rose Mendes

Ilhabela, SP

dias mais quentes:

hora de mudar samambaia

pra outro lugar

Rose Mendes

Ilhabela, SP

Folhas rendadas

Samambaia da varanda

Ostenta na brisa.

Yone

São Paulo, SP

 

 

Temas de março de 2018 (postar até 10 de fevereiro)

Arara – Sapé – Quaresma

 

Temas de abril de 2018 (postar até 10 de março)

Noite estrelada – Cravo – Ovo de Páscoa

 

Comentários
Loading...