ERIKA TAMURA: 110 anos da imigração japonesa, 30 anos do movimento dekassegui e a lenda do Urashima Tarô

Há 10 anos, escrevi um artigo igual esse, onde eu dizia que Urashima Tarô é o maior símbolo da imigração japonesa e do movimento dekassegui.
Eu acho que sou privilegiada, vivo tudo isso intensamente, como parte da minha história. (Não só eu, mas todos que passam por esse movimento migratório).
Urashima Tarô, é a história de um pescador que salvou a vida de uma tartaruga das mãos de meninos perversos.
Um dia, como recompensa, a tartaruga o leva em suas costas para o fundo do mar, para um lugar lindo, assemelhando-se ao paraíso. Neste lugar além de encontrar pessoas felizes, casa-se com a princesa local.
Urashima Tarô tinha todos os motivos do mundo para se sentir feliz, mas com o passar do tempo, ele sente muitas saudades dos pais e da vida simples que levava na pequena vila de pescadores. Então, Urashima Tarô decide voltar à vila, e recebe da princesa uma pequena caixa de presente, mas na condição de somente abri-la quando estivesse realmente muito triste.
De volta a vila dos pescadores,Urashima percebe que as casas e todo o resto está diferente, mas tinha certeza de que se tratava do mesmo lugar onde morava, pois as montanhas e o mar eram os mesmos.
Urashima descobre que já se passaram muitos anos desde a sua partida,e que seus pais e conhecidos haviam falecido. Num ato de desespero, tentou voltar ao fundo do mar e abriu a caixinha proibida, de onde sai uma fumaça e que ao subir o transforma instantaneamente em velho, como se o tempo que ficara congelado recuperasse a diferença em um segundo.
Como toda fábula japonesa, esta também tem um final triste. Mas é triste também a história do imigrante. Nós que vivemos aqui no Japão como dekasseguis, temos idéia do que os nossos ancestrais sofreram quando chegaram ao Brasil em épocas passadas. Hoje há uma diferença favorável: contamos com a ajuda tecnológica, como aviões, internet, telefones, que dá a nítida sensação de encurtamento das distâncias. Sem contar que hoje em dia o preconceito quase não existe, e as diferenças culturais têm aspectos financeiramente vantajosos.
Nossa angústia de ser estrangeiro no Japão, não tem a mesma carga de sofrimento dos nossos antepassados.
Mas mesmo assim, insisto em dizer, que o maior símbolo da imigração japonesa no Brasil e do movimento dekassegui é a Fábula do Urashima Tarô! Talvez em graus variados, mas como pode uma analogia descrever tão bem o sentimento dos dois movimentos? Tanto dos imigrantes que aportaram no Brasil, como também dos dekasseguis que aqui estão.
Afinal qualquer escolha que fizermos, teremos que abrir mão de alguma coisa boa, não dá para ter tudo. Cada escolha, uma renúncia…
Mas dá para tentar conciliar.
E contando essa lenda, acho que dá para entender a cabeça daqueles dekasseguis que decidem morar permanentemente no Japão, mas a saudade do Brasil sempre vai latejar nos corações de todos.

Comentários
Loading...