ARTIGO: A força do associativismo e a importância de renovar

*Bruno Omori

Tenho uma tese que o associativismo consiste na união de pessoas, empresas ou entidades, com objetivo de criar de forma poderosa, sinérgica, coletiva, conectada e planejada, estratégias consolidadas para defender e desenvolver um segmento, função ou missão.
Se analisarmos a crise política e econômica do Brasil nos últimos anos, que afetaram a produção e rentabilidade das empresas com a queda dos postos de trabalho, além da incerteza em relação a possíveis investimentos, da descrença ao poder público e relação de oferta e demanda dos mercados; agregadas as demandas crescentes da sociedade com a interação das gerações dos Baby Boomers, com a “X”, “Y” e Milenium, cujas expectativas em relação aos serviços, os atendimentos e demandas são divergentes e ao mesmo tempo convergentes, não necessariamente somente em relação a faixa etária e sim sobre suas expectativas criadas em seu comportamento como consumidor; somados a uma inversão de alguns valores da sociedade como a falta de respeito aos professores, a corrupção e descuido do bem público ou mesmo com aapologia a drogas e de temas que destroem a sociedade; e que finalmente com as constantes evoluções tecnológicas especialmente na comunicação que geram um número quase ilimitado de informações na internet e mídia sociais, onde as organizações públicas e privadas e as pessoas tem dificuldades em transformar em dados confiáveis e estratégicos para tomada de decisões em suas vidas ou mesmo no mundo corporativo.
Neste contexto, podemos afirmar que nunca o mercado corporativo, o governo e a coletividade em geral precisou de forma incontestável da demanda de Renovar os pensamentos, as lideranças e da forma de fazer política com responsabilidade, ética e lisura, especialmente neste ano de eleições, e que altamente agregado ao Associativismo, com a união dos pensamentos, estratégias, lideranças, filosofias e forças, será possível que a sociedade paulista e brasileira tenha a capacidade para enfrentar os desafios, novas tendências culturais, tecnológicas e sociais, além de propor agendas e planejamento para o crescimento e desenvolvimento do nosso País e Globalmente.
A Abih-SP (Associação Brasileira de Hotéis do Estado de SP) fundada em 1949, que em 2019 completará 70 anos, cuja base associativista visa a defesa e desenvolvimento do mercado hoteleiro e do turismo do Estado de SP e do Brasil, realizará nos dias 25 a 27 de junho deste ano a Feira Expotel e o Congresso Sehga, com projeção de presença de mais de 5000 hoteleiros e lideranças do turismo e governo, onde serão discutidos temáticas estratégicas de gestão da hotelaria como sustentabilidade, acessibilidade e inclusão social, segurança, distribuição e principalmente o “Turismo como Fator de Desenvolvimento Econômico e Social”; a entidade também como apoia movimentos como o RenovaBR para mudança do patamar da forma de fazer política em SP e no Brasil; e tendo como elemento básico de sua existência , a Abih-SP propõe de forma coletiva e integrada, a sinergia estratégica entre o mercado hoteleiro, governamental, com o trade turístico, para ser um dos agentes propulsores da retomada do crescimento da economia e dos valores éticos, morais, sociais e mercadológicos do nosso amado País.

*Bruno Omori é presidente da Abih-SP (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de São Paulo) e do IDT–Cema (Instituto do Desenvolvimento, Turismo, Cultura, Esporte e Meio Ambiente)

Comentários
Loading...